#5 Qual é a necessidade da arte? Qual o papel dos museus pós pandemia?

Durante o período de pandemia a nossa maior companhia tem sido a arte e a cultura, mas qual é o lugar da arte e do museus na nossas vidas?

Na palestra para o #PinaLive, promovido pela Pinacoteca do estado de São Paulo Mario Sergio Cortella fala sobre o papel dos museus e da cultura na retomada pós pandemia.

O filósofo inicia a palestra citando o livro de Ernest Fischer, no seu livro “A necessidade da Arte”,  e então questiona: qual é a necessidade da arte?

Cortella nos explica a perspectiva de perenidade da nossa existência transmitida pela arte, em contraponto à utilidade dos objetos do cotidiano.

Mesmo que a experiência de estar frente a frente a obra de arte seja insubstituível, a arte ameniza a sensação de estar confinado em casa durante a pandemia.

Diz ainda que a capacidade de criar e de inventar é inerente ao ser humano. E a capacidade de contemplar as obras artísticas também nos pertence.

Mas a arte –manifestada através da arquitetura, escultura, pintura, música, poesia, dança e cinema – é dotada de um imenso valor para o ser humano: a arte é capaz de cessar a dor.

Ao fim da pandemia, poderemos nos deparar com a maior força da inventividade humana e nos emocionar.

No momento, o que temos é a possibilidade de apreciá-la virtualmente, de forma a cessar a dor do aprisionamento.

Veja abaixo o vídeo completo da palestra do Professor Cortella.

_________

Curta nossas redes sociais:

Insta: @criticaexpografica | Face: facebook.com/criticaexpografica

_________

Crítica Expográfica é escrito por Renata Figueiredo Lanz, que, além de produtora de conteúdo neste blog também é diretora de criação da Renata Figueiredo | design gráfico + expografia . Para entrar em contato envie um e-mail para renata@refigueiredo.com.br

_________

Gostou do post ou tem uma outra opinião? Deixe seu comentário abaixo.