7 museus com temas muito estranhos (mas que valem a visita)

Quando visitei o Museu da Batata Frita (Frietmuseum) em Brugges, achei que já tinha visto o museu com o tema mais estranho na minha vida. Não. Nem sei se conseguirei chegar a ele. Mas a curiosidade me leva a visitar um museu desse tipo para rever os meus preconceitos.

Esse museu me surpreendeu positivamente. Confesso que fui esperando por um parque temático apenas, sem comprometimento com a aquisição de novos conhecimentos pelo público. E então me surpreendi com uma característica expográfica rara: o museu considera a existência do público infantil. Pode parecer obvio, mas quase nenhum museu considera o público infantil em sua expografia.

O Frietmuseum tinha uma comunicação especial para este público. Abaixo dos painéis contando a história das batatas no mundo e a sua introdução na Europa, etc, ele tinha uma explicação simples e divertida para os mesmos conceitos, no painel logo abaixo.

O que impressiona também é que, mesmo para as crianças em fase pré-escolar, o museu tem objetos na altura delas, muitos que podem ser tocados (e não estão isolados em vitrinas) e experimentados por este pequeno público em formação.

Painel embaixo do dos adultos com história resumida e adaptada ao público infantil. Fonte: http://www.frietmuseum.be/en/press.htm

Então, mesmo se apresentando de forma bastante despretenciosa, esse museu me mostrou uma forma de tratar o público muito interessante.

E claro, o museu cheira batata frita. O visitante obviamente ganha uma no final: será uma experiência multisensorial?

Porém ele não é único no mundo com temas diferentes e exóticos. Existem muitos outros. Um pequeno universo, cito aqui:

• Museu da Salsicha: o Deutsches Bratwurstmuseum fica em Holzhausen.

O Museu da Salsicha se mudou de lugar por ser construido em um antigo Campo de Concentração alemão.

• Museu do Chocolate: também em Brugge, mas impossível de visitar depois de comer tanta batata.

Museu do Fracasso: mostra os erros e absurdos na criação de novos produtos, como uma mascara de beleza que tira rugas através de choque elétrico ou uma Coca cola sabor café.

• Museu Fálico da Islândia

• Museu da Privada, na Índia

• Museu das Baratas, nos EUA.

Minha curiosidade por conhecer museus jamais chegaria a esse último.

_________

Curta nossas redes sociais:

Insta: @criticaexpografica | Face: facebook.com/criticaexpografica

_________

Crítica Expográfica é escrito por Renata Figueiredo Lanz, que, além de produtora de conteúdo neste blog também é diretora de criação da Renata Figueiredo | design gráfico + expografia . Para entrar em contato envie um e-mail para renata@refigueiredo.com.br

_________

Gostou do post ou tem uma outra opinião? Deixe seu comentário abaixo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s